quarta-feira, fevereiro 01, 2012

Desiludida.

Eu tentaria descrever o que sinto, se conseguisse saber o que de fato se passa aqui dentro de mim. É um mistura de decepção, de tristeza e dor. Física e sentimental. Mas, pela primeira vez eu não tenho raiva de mim, só vergonha. Vergonha de ter depositado a minha felicidade nas mãos de uma pessoa que não sabe o significado dessa palavra. Foi exatamente assim, as coisa estavam indo bem, eu ousei afirmar pra mim mesma que as coisa estavam se acertando, mas logo em seguida descubro que não. Não pode estar indo bem, porque simplesmente não existe mais nada. Mais nada que se possa fazer. Ninguém nasceu pra sofrer o tempo todo. E o mais irônico é que eu sei que não devia existir mais laços, mas infelizmente não consigo desfazê-los. É tanta dor que chega a  me sufocar. Mas fico feliz por mim, pela primeira vez eu não tenho vontade de morrer, de sumir, de chorar. Eu tenho vontade de viver, pra dar a volta por cima. Por mais que eu não consiga, eu tenho vontade de arrancar esse amor de dentro do meu peito. E mesmo sabendo que daqui a umas 3 horas eu não vou sentir mais nada do que acabo de escrever, eu estou aqui escrevendo. Porque eu posso ser um baú a acumular felicidades, mas tristezas? Tristezas devem ser postas para fora.

Um comentário:

Lys Fernanda disse...

Espero que se recupere e que essa fase não deixe muitas cicatrizes. Até mais!