terça-feira, março 06, 2012

Dia após dia, hora após hora, minuto após minuto, há algum tempo não te procuro . Tenho saudade de me entregar a você, de me deixar desvanecer nos teus braços firmes. Você costumava me tirar do fundo do poço, me reerguer sempre que ele vinha e me deixava aqui, sofrendo e sem saber por qual caminho seguir. Era ao teu lado que costuma derramar minhas lágrimas sofridas, toda a minha surrealidade. Era bom mergulhar nas suas bordas, caminhar nas suas entrelinhas, viver às suas margens. Falta-me liberdade, certezas, seriedade. Há quanto tempo não te procuro. É, há quanto tempo... Não sei se me falta essência, ou o que quer que seja, mas falta-me coragem. Alguma coisa bloqueou toda a sensibilidade que eu dedicava a ti. Mas, eu sinto em você um amor materno, real, livre de idealizações. E se eu desapareço, é porque carrego a certeza que você sempre estará aqui, pra me ouvir, pra me entender, doce amiga poesia.

3 comentários:

Biiah Vieira disse...

parece que tem alguém que como eu andou sentindo falta de escrever? rs
Seu blog, suas palavras, tudo perfeito aah como eu adoro isso tudo =)

bjs
BeeaVieira
www.umteko.blogspot.com | www.minhasmaosdetesoura.blogspot.com

Lys Fernanda disse...

Que saudade menina..., mas entenda: o que é nosso sempre encontra uma maneira de nos encontrar. ;)


Boa tarde, tem poesia lá no meu blog!

Ray Silva disse...

Obrigada meninas, vou olhar o blog de vocês.